quarta-feira, março 14, 2007

Tudo nos pertence

O mar da península
com suas imagens
quebrado nas dunas
antes dos naufrágios,
o vento Árctico
nos dedos mais ágeis,
os jardins suspensos
imensos e frágeis.
Tudo nos pertence
quando somos jovens.

José Carlos Barros

3 comentários:

gabriela r martins disse...

discutível!!!!!
muito discutível!!!!!!

!
!
!

um beijo!

ailéh disse...

Mas vai discutir o assunto com o "barros" que foi ele que disse isto.


tres beijos Bochechas e testa

jcb disse...

O poema não é assim; está transcrito com gralhas (um verso de cinco sílabas passou a quatro, por exemplo); é um fragmento e não identifica as partes cortadas; assim, amputado, não faz o mínimo sentido e mal o reconheço. Agradeço, claro, terem escolhido um poema meu para trazer aqui; mas, desculpem, acho lamentável a forma como o fizeram. Um abraço, JCB.